Dor Mir

•13/10/2012 • 1 Comentário

De repente tudo parou
Só há silêncio e uma dor que aperta fundo bem baixinho
Acho que tudo parou pra não deixar ela passar
Eu me mato, me congelo pra que ela não dê um passo à frente

Eu só quero esperar ela ir embora
Parar de brincar comigo
Pare dor, não incomode essa freguesia
Me deixe sair, saltar, voar
Me deixe viver

Seja minha amiga, longe de mim desta vez
Vá pra outro lugar, não me importo pra onde
Apenas vá e me deixe sonhando os meus sonhos
Vá dor que queima, que me aquieta e me engessa
Na tentativa de não chamar a sua atenção
Na tentativa de não te acordar

Durma novamente dor de outrora
Durma e não se lembre nunca de acordar
É só o que eu peço
Assim poderemos todos dormir tranquilos

Níkolas Medson

Image

Que Eu Morra, Mas Não Aqui (Por Favor)

•12/10/2012 • Deixe um comentário

Não aguento a casa de portas fechadas
Luzes apagadas não me deixam voar
Sei que nem sempre poço ver para onde irei saltar
Mas a casa de portas fechadas e luzes apagadas prende a minha alma
E assim eu já não consigo mais enxergar, respirar!
Estou morrendo

Não morro no morro que sonhei
Morro na casa fechada em que entrei
Não consigo mais sair?
Quanta angústia!
Salva-me!
Alguém livra-me desse destino, se possível
É possível

Se quero morrer, que seja do jeito livre
Eu sou da Arte, sou artista, não quero uma morte de detento
Preciso morrer nos braços do vento que passa por cima da codilheira

Eu não quero a casa fechada de luzes apagadas
Eu quero a felicidade ao menos da morte com liberdade

Níkolas Medson

Image

“E então eu grito, pois o meu grito não pode ser calado” Níkolas Medson

Posso Dizer Que Te Amo?

•10/06/2012 • Deixe um comentário

E foi assim; eu já não pude me conter
A hora chegou pra que a distância acabasse
Todos os sentimentos se conflitando em meio às escolhas
Tudo foi muito rápido, mesmo tendo sido muito devagar

Momento único foi aquele em que eu te encontrei
Assim como são todos os momentos em que estou contigo
Perdi, recuperei e tentei segurar o fôlego
Pois conter os sentimentos já não quero mais

Lágrimas se fizeram presente
Sorrisos foram constantes
E aquela coisa que nós dois buscamos
Ao mesmo tempo que fugíamos
Parece se tornar mais forte a cada instante

E eu quero estar sempre junto de ti
É uma escolha que faço todos os dias
Mesmo que talvez você não saiba disso
Níkolas Medson

“E eu lhe abraço com aquilo que somos” Níkolas Medson

VÉSPERA

•07/06/2012 • Deixe um comentário

“Pode parecer cruel, mas vou” Vander Lee

Posso estar com medo, mas vou
Não quero estar sendo cruel comigo
Não quero estar sendo cruel com as minhas verdades
Mesmo contradizendo algumas intuições

Eu quero tentar estar perto, estar tentando
Mas não quero me perder de novo
Eu quero que saiba o que sou
E assim veja que sou alguém que sente

Não brinque. Não brinque. Não brinque
Não me faça de brinquedo

Só espero que alguém me faça feliz
Assim como várias vezes me disse e me disseram
Que tenha ao menos um pouco de verdade nisso
Para que não eu não seja mais uma vez desiludido

Porque muitas vezes não se trata apenas de uma ilusão
Mas de algo que vai muito além disso
E que vai muito além de um tempo, mesmo que longo
Saiba disso
Níkolas Medson

“É uma questão de lutar, mesmo que isso seja em meio às lágrimas. É por mim” Níkolas Medson

O Conto do Meu Palhaço

•03/06/2012 • Deixe um comentário

Eu quero estar leve, estar livre para me manter feliz
Chorando por dentro e suspirando por fora
O que é isso?

Cada gesto pequeno me atingindo com força
Cada direção em que olho, me perco um pouco mais
Eu só quero viver feliz
Isso não é um erro e nem mesmo proibido

Eu quero só um lugarzinho pra poder apoiar o meu coração
Aquele que seja calmo
Pois aguentar o que aqui tem, sozinho
É muito até mesmo para este folião
Níkolas Medson

“Daí em diante ele nunca mais perdeu o seu encanto” Níkolas Medson

Uno – A Tantum Vita

•02/06/2012 • Deixe um comentário

Foi assim tão simples a forma com que tudo aconteceu? Foi sim. Mas não acreditei na verdade a primeiro momento.
Anda tudo assim, tão bonito. Sim, bonito. Está pode ser a palavra.
Um completando ao outro e fazendo das incertezas verdades desmistificadas.
Foi assim que chegou e bateu. Resisti o máximo que pude, mas foi mais intenso aquilo que ocorreu em mim quando se materializou o que antes era apenas desejo ou sonho descompromissado.
Aprendendo mais de ti, descobrindo mais de mim.
Não há muito ainda há dizer, mas, com certeza, muito a viver.
O tempo de uma estrela dura muito enquanto a vida de um mortal dura pouco.
Mas agora já não existe mais o lapso temporal ou o peso do fim. Agora é eterno, pois até o tempo da estrela parece já ter sido superado, submetido à vontade de duas vidas que resolveram entrelaçar-se e viver como uma.
A minha e a sua. Una.
Níkolas Medson

“E agora elas se juntam para confundir o nosso tempo, a nossa contagem. O Universo já provou que não quer que isso acabe. Fique aqui comigo.” Níkolas Medson

Pra Tudo Aquilo que é Matinal

•18/05/2012 • Deixe um comentário

Que nada pese no dia de hoje
Que nada seja mais pesado que o próprio vento e sua leveza
Que cada pequena barreira seja mais um exercício de aprendizado
Que tudo o que se move, sorria para mim
Que tudo o que é bom, parta primeiramente de mim

As luzes se acendem com o Sol que irradia
Os sons acordam e vibram o nosso corpo
A vida recomeça e é como se nada existisse antes daqui
Há um novo e único motivo para se manter de pé
A felicidade que nos espera ansiosa no dia de hoje
Encontre-a
Níkolas Medson

“E eu disse para a garota: Encontre-o” Níkolas Medson